Sobre bikinis

Ah, o verão. Tempo de calor, praia e, se você mora em São Paulo, falta de água. Eu faço o meu melhor para não ir à praia durante as festas de final de ano para não enfrentar congestionamento na estrada, preços abusivos em pousadas e nem um metro quadrado para extender minha canga na areia. Além disso, odeio areia. E água salgada. E sol. Mas aí pintou a oportunidade de eu ir quase de graça para a casa de praia do cunhado, que fica pertinho de Parati. E, nossa, sempre quis ir para Parati.

A pior parte da praia nem é ter que passar duas horas passando protetor solar e mesmo assim correr o risco de ficar com a tira da havaiana vermelha. É ter que comprar bikini. A última vez que comprei bikini fazem uns 5 anos. Procurar um novo é sempre um momento de tensão e ansiedade. Achar algo que serve, que dê segurança para pular ondas sem acabar ficando pelada por engano e que seja minimamente atraente é uma tarefa apenas para os de forte coração. Queria saber como têm gente que tem um monte de bikinis, gavetas cheias. Elas devem ter um exército de gnomos que ficam costurando bikinis perfeitos. É o único jeito.

Dessa vez até que consegui comprar rápido, foi na terceira loja e a vendedora não ficou me empurrando nada que eu não quisesse. Eu tive que dizer apenas uma vez que não gosto de frente única. Eu não sei quem foi o imbecil que inventou que mulheres de peito grande precisam usar bikini frente única. Certamente alguém sem peitos. Uma vez eu caí nessa lorota e comprei um. Foi umas das piores experiências fashion da minha vida, logo depois de todas as vezes que insisti em ir a alguma festa de salto alto.

Vou contar uma coisa pra vocês: seios pesam. Geralmente eles ficam não tão confortavelmente equilibrados nas costas e nos ombros, em tiras grossas. Aí alguém decidiu colocar todo esse peso no pescoço criando o que eu gosto de chamar de efeito guilhotina. Tanta. Dor.

Sinto sua dor, Kim!

Sinto sua dor, Kim!

Mas parece que já foi canonizado que frente-única ajuda a “desfarçar” seios grandes, do mesmo jeito que mulheres com seios menores “não podem” usar tomara que caia com o risco de parecem menores ainda, que horror, e toda uma miríade de esquemas para encobrir “defeitos”. Aparentemente a gente sempre tem que comprar roupa que nos deixe mais próximas de um padrão. E quando você pensa que o padrão é a Kim Kardashian ou a Gisele Bündchen, descobre que até elas têm bikinis específicos para desfarçar os problemas dos seus tipos de corpo. Melhor seria nem sair de casa, né? Queria um mundo com mais vendedores que não me empurrassem o que não quero comprar e com mais estilistas que priorizam praticidade e conforto sobre estética que “desfarça defeitos”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s